11 abril 2009

♪ Vida tão estranha ♪




São de veludo as palavras
Daquele que finge que ama
Ao desengano levo a vida
A sorte a mim já não me chama

Vida tão só
Vida tão estranha
Meu coração tão mal tratado
Já nem chorar me traz consolo
Resta-me só o triste fado

A gente vive na mentira
Já nem dá conta do que sente
Antes sozinha toda a vida
Que ter um coração que mente

Vida tão só
Vida tão estranha
Meu coração tão mal tratado
Já nem chorar me traz consolo
Resta-me só o triste fado

Musica de Rodrigo Leão
Voz de Ana Vieira

7 comentários:

Ana disse...

É um fado triste, mas real. Adorei!

E como hoje é dia de Páscoa deixo-te este poema muito simples mas lndo, porque nós as Paulas, apesar da diferença de idades, temos dentro de nós as crianças que somos:

Os coelhinhos...

Iam dois coelhinhos
andando apressados
para o Céu — com medo
de serem caçados.

E também com medo
de passarem fome.
Pois — quando não dorme —
o coelhinho come.

E ainda tinha os filhos
que a coelha esperava...
O Céu era longe
e a fome era brava.

Jesus riu, com pena:
fez brotar na Lua
— para eles — florestas
de cenoura crua.

Jinhosssss minha linda!

Su...de Susaninha ;) disse...

Extraordinária, esta deu luta a encontrar não?! ;)

Nuno disse...

Musica, letra e voz, tudo fantástico :)

Rui disse...

nice, very nice ;)

Sonia Ruivo disse...

Depois de muito trabalho valeu a pena :)

Fantastico

Anónimo disse...

Grande Rodrigo Leão!!! És um fofinho!!!

O exemplo perfeito de como a arte flui em sentimento. Exemplo repetido obra após obra!!!

http://www.rodrigoleao.pt
Aqui podem acompanhar a vida e obra e umas datazinhas de concertos!!

Jinhos,
Mariana

shara disse...

Grande letra, sim senhora, adorei.
"Antes sozinha toda a vida
Que ter um coração que mente", também concordo :)